Integrante do departamento de RH do Instituto Jô Clemente, Cristiane Gonçalves quer se especializar na área. E esse é só um de seus objetivos!

Antes de entrar para a equipe de profissionais do Instituto Jô Clemente, antiga APAE DE SÃO PAULO, Cristiane trabalhou no Tribunal de Justiça. Há quatro anos abraçou a oportunidade que surgiu no do departamento de RH e se dedica diariamente ao aprendizado. “Eu aprendo bastante coisa. Gosto de ficar no computador, na digitação, e gosto dos serviços novos que as pessoas me dão. Eu estou aprendendo bastante nesse tempo”, afirma.

O dia a dia no Instituto Jô Clemente

O ambiente profissional do Instituto Jô Clemente, em que a inclusão e o bem-estar estão em destaque, conquistou Cris já no início. “Aqui tem música, a gente fica ouvindo e trabalhando ao mesmo tempo”, destaca. E foi graças a rotina que ela percebeu que queria se especializar na área, voltou a estudar e planeja novos cursos. “Eu voltei a estudar esse ano, estou no ensino médio. Quero fazer o ensino médio e depois fazer um curso de RH. Trabalho das 8h às 17h, e na segunda-feira faço o supletivo, das 19h às 21h.

“Não acho nada difícil no meu trabalho. Difícil não tem nada, não, porque eu aprendo as coisas muito rápido. O mais fácil e o mais gostoso aqui é aprender coisas novas. Agora estou começando a atender as pessoas aqui no RH, passando as informações que eu sei.”

Quando sai do trabalho, Cris gosto de ouvir música, navegar na internet, atualizar suas redes sociais e assistir Netflix. “Gosto de filmes de terror, são os preferidos!”

Sonhos para o futuro

Cris quer um grande amor para o futuro, sonha em se casar e dividir a vida com alguém que, assim como ela, não para de fazer planos. “Não tenho namorado agora, estou solteira, mas quero namorar, quero muito casar. Ainda não sei se quero ter filho, estou pensando muito se quero ter filhos ou não”, diz.

Enquanto não encontra sua cara-metade, também sonha em morar sozinha, viajar, ter um carro. “Tenho muita vontade de morar sozinha. Esse é o meu sonho. Vou mudar quando puder, agora estou fazendo uma poupança, mas o dinheiro da minha poupança agora é para outros planos, não para morar sozinha, é mais para urgência. Eu tive que fazer a matrícula da escola e também estou juntando para um dia ir viajar e para fazer autoescola. Meu outro sonho é aprender a dirigir um carro.”

A primeira viagem já tem destino certo: “Quero conhecer Fortaleza, é a terra que a minha mãe nasceu. Não sei se tenho parente lá, não conheço ninguém. Mas quero conhecer o Ceará. Eu penso em ir com alguém, pode ser com a minha mãe, para levar ela. E queria levar o namorado (risos)”.